Guia definitivo sobre botas masculinas

“Lá vem os caga-regra da moda”.

Para começar, nossa intenção aqui não é falar sobre “estar ou não” na moda. O objetivo é olhar para vestimenta como uma ferramenta de comunicação que lhe ajudará a se comunicar melhor com as pessoas ao seu redor.

E a primeira pergunta é: Você precisa se adequar aos códigos de vestimenta impostos pela sociedade?

É claro que não.

Mas saiba que toda ação gera uma reação, e até mesmo sua negação está dizendo algo, quer você queira ou não. Portanto, quanto mais conhecimento sobre vestuário, mais liberdade e clareza você terá para dizer as coisas que quer dizer.

Teremos o guia mais funcional possível, não iremos nos ater as nomenclaturas rígidas. O foco deste texto é que, ao se deparar com uma vitrine, você  entenda logo de cara se a bota que gostou ficará bem com social, casual ou com o que quer que você queira. É a independência das intempéries da moda ou da boa vontade (e conhecimento) do vendedor.

Entendendo o que compõe essa matemática (a relação das peças com seu contexto), você não precisará de nenhuma informação externa, meu amigo.

Você mesmo saberá o que escolher para quaisquer situação que precisar.

“Mas qual feitiço profano pode realizar tamanho feito, Camila?”. Farei isso garimpando todas as informações úteis e acompanhado com um show de imagens sem fim(?!).

Se fosse você, já salvava nos favoritos, amigão.

Como o conhecimento só existe quando compartilhado, vamos as informações:

Como diferenciar uma bota formal de uma casual

Botas formais são semelhantes a um sapato formal, porém com cano curto, médio ou alto.

Suas principais características são:

  • Cabedal (parte superior do calçado) de couro liso e brilhante;
  • Sola de couro (podendo ter detalhes de borracha no salto para evitar possiveis tombos);
  • Cadarço fino e bico alongado e baixo.

Dica: lembre-se, menos é sempre mais para botas formais.

Exemplo:

Já as botas casuais podem apresentar variações de materiais (como camurça, por exemplo), cadarço mais grosso, sola de borracha e detalhes no couro.

Dica: quanto mais detalhes tem a bota, mais informal ela fica.

Exemplo comparativo:

Do formal ao informal.

Pois bem. Não foram nem cinco minutos lendo este texto e você já descobriu umas das maiores charadas sobre botas, que era como encaixá-las em formais e informais. Incrível, não? Não existe decoreba mágica que seja mais eficiente que o entendimento pleno.

Agora que já sabemos o principal, vamos aos tipos de botas.

Para facilitar nossa vida, pensei em categorizá-las de uma maneira bem simples: com cadarço e sem cadarço.

1. Com cadarço

Alguns modelos: os Plain toe, Cap toe, Moc toe, Wingtip toe, as Desert boots, os Coturnos e Work e Hiking boots.

Como usar

Olharemos com atenção as 2 combinações abaixo:

Por seu caráter mais reforçado, entendemos que a bota é um calçado mais funcional que remete ao trabalho mais pesado, certo? Seguindo esse raciocínio, quão coerente podemos dizer que o rapaz da esquerda está?

O shorts mostra que ele esta com calor, porém todo o resto mostra que ele esta com frio. É uma quebra de comunicação incoerente.

Para ser mais clara, é como se ele fosse falar uma frase e nela uma palavra saísse em espanhol, a outra em inglês e a outra em francês. Não quer dizer que as palavras isoladas estejam erradas, mas quer dizer que juntas não fazem sentido. E sendo o todo incoerente, a sentença provavelmente esta errada.

Na segunda imagem, o moço esta  vestido como um cara que anda na rua usando sua roupa de “bater”. Vemos bota, calça jeans sem lavagem e camiseta, a combinação remete ao clássico estilo “operário”.

A bota casual é coerente com a calça sem lavanderia no sentido de ser simples, conversando com a camiseta que também é básica.

Ele desconstrói levemente o estilo operário por ter o corpo malhado e uma tatuagem a mostra, ou seja,  os signos corporais estéticos dele fazem a diferença.

Vamos mais exemplos de combinações harmoniosas:

 

Desert boots

Separamos um tópico especial para as desert boots, pois são extremamente versáteis e vão muito bem com nosso clima.

As principais características deste tipo de bota são o cano na altura do tornozelo e a pouca quantidade de ilhós, ou seja, os “buraquinhos” por onde passa o cadarço (máximo 3), além de, normalmente, serem fabricadas com tecidos mais maleáveis.

Curiosidade: As desert boots foram uma criação de Nathan Clark, membro do Exército inglês, que instalado na Birmânia notou que alguns oficiais utilizavam calçados de camurça nas horas vagas.

Clark investigou e descobriu que os soldados sul-africanos solicitaram esses calçados específicos, pois os tradicionais (de couro) não era muito funcionais no deserto. As botas vieram de um bazar no Cairo, onde foram feitos para serem leves (eram mais fáceis para correr), tinham um solado aderente (auxiliando o equilíbrio) e durável, também tinham a parte superior feita de camurça, que era mais confortável e ideal para altas temperaturas e o suor.

E aqui uma prova da versatilidade deste modelo:

 

Coturnos (ou botas inspiradas em coturnos)

Tipo de calçado feito de couro e extremamente resistente.

São impermeáveis, possuem uma sola grossa permitindo que os usuários andem em qualquer terreno irregular e sem escorregões, o bico é reforçado e revestido para proteger mais os pés e, claro, o cano é alto para proteger ainda mais as pernas.

Hoje você encontra essa bota nível “Combate de Fudência Total” apenas em lojas especializadas. O que temos, em sua maioria, são modelos inspirados em coturnos.

Work e hiking boots

Não nos estenderemos nas botas profissionais e de alta performance, pois não é o foco do nosso artigo, mas para não ficarmos com uma lacuna, segue um breve entendimento das duas principais categorias:

Work boot

Por via de regra, a work boot possui reforços em aço no bico (que pode ser interno), protegendo o usuário contra quedas de objetos pesados, é também a prova d’água, além de ser rígida e pesada.

Hiking boot

A Hiking boot apresenta alças de metal e ganchos que substituem os ilhoses. Pode ter cadarços de nylon para repelir água. É uma bota mais leve e flexível.

2. Sem cadarço

Alguns modelos: o Chelsea, o Cowboy e o Monk.

Nesse tópico, nos ateremos ao modelo Chelsea, bota suficientemente presença para ser usada com jeans ou social e extremamente prática também, em menos de 5 segundos – graças ao elástico lateral – você tira e coloca no pé.

A seguir um avalanche de imagens que só comprovam a versatilidade dessa bota:

 

Cowboy boots

Existem diferentes tipos de botas de cowboy, podendo ter variações que vão desde o tipo de salto até o formato do bico. A título de curiosidade, separamos dois modelos de salto diferentes para vocês:

E algumas combinações:

 

Monk boots

Sua característica principal é a fivela na lateral (podendo variar de 2 a 3).

Sua história vem de vários séculos atrás, quando os monges europeus decidiram trocar suas sandálias por sapatos mais resistentes.

 

E chegamos ao fim do nosso texto sobre botas.

Salvou nos favoritos? Informação é poder, meu amigo!